Transformação digital no campo: como me inserir nessas mudanças?

A transformação digital no campo se faz necessária por diferentes razões, e uma delas é a crescente demanda por alimentos. Segundo a ONU, é previsto que, até 2050, a população mundial chegue a 9 bilhões de pessoas. Por isso, é essencial encontrar maneiras mais eficientes e inteligentes de produzir alimentos em larga escala.

Segundo a FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação), o setor agrícola passou por muitas transformações desde o século 19. Isso inclui, por exemplo, a agricultura mecanizada e a Revolução Verde.

Em geral, a base conceitual de “agricultura inteligente” ou “agricultura digital” vem do desenvolvimento de conhecimentos científicos. Entre eles, estão as técnicas e os equipamentos da agricultura de precisão, iniciada a partir da década de 90.

O que é a transformação digital no campo?

Atualmente, têm recebido destaque os avanços nas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). Aproveitando o fluxo, as fazendas em todo o mundo estão se transformando e se adaptando à agricultura inteligente e digital.

Em contraste com a agricultura de precisão, a agricultura digital moderniza o setor agrícola por meio de recursos tecnológicos. Podemos citar aqui, entre tantos outros, o uso de automação, inteligência artificial (IA) e robótica

Assim, a agricultura digital envolve a conversão de dados agrícolas em percepções acionáveis. Isso permite a comunicação de uma elevada quantidade de dados, coletados em tempo real, através de várias tecnologias digitais. Abre-se caminho para monitorar, rastrear, analisar e otimizar vários ativos e processos agrícolas

A digitalização também garante que os insumos agrícolas sejam gerenciados de forma altamente otimizada e personalizada. Isso é possível devido ao uso direcionado de recursos e ao controle preciso do processo de produção.

Cabe ressaltar também a crescente conscientização dos consumidores sobre como seus alimentos estão sendo produzidos. Nesse sentido, a digitalização dos processos agrícolas permite a rastreabilidade ao longo de toda a cadeia produtiva, por exemplo, utilizando a tecnologia blockchain.

Transformação digital no campo: Aplicação das tecnologias digitais

A transformação digital no campo pode ser aplicada em todas as etapas da cadeia agrícola. Inclusive, ela vem sendo um grande apoio para um melhor gerenciamento das propriedades rurais.

Abaixo apresentamos algumas ferramentas que auxiliam os produtores rurais a promoverem a transformação digital no dia a dia de suas propriedades. São exemplos que têm revolucionado o agronegócio brasileiro e mundial! Confira!

1. Drones

Vamos considerar algumas das estimativas da FAO. Elas sugerem que, nos próximos cinco anos, o setor de alimentos e de agricultura será o segundo maior usuário de drones do mundo.

A FAO já empregou drones em muitos países para coletar dados detalhados e em tempo real sobre os desafios alimentares e agrícolas. Um exemplo é a análise dos riscos de desastres naturais e a avaliação dos danos causados ​​por eles. 

No âmbito da transformação digital no campo, os drones podem ter ainda outras aplicações, como:

  • pulverização;
  • monitoramento de rebanho;
  • demarcação de plantio;
  • detecção e contagem de plantas em linhas de plantio;
  • acompanhamento (em tempo real e de forma automatizada) de animais – localização, movimentação, comportamento e fisiologia.

2. Apps de serviços agrícolas

Novos aplicativos estão fornecendo aos produtores rurais informações sobre clima, cuidados com o rebanho, mercados, nutrição, entre outros. Veja alguns exemplos

a) Apps de calendário de clima e safra: combinam informações sobre previsões do tempo e programações de safra – ou seja, fornecem um aviso antecipado de potenciais riscos.

b) Apps de controle de doenças e estratégias de nutrição: fornecem informações que ajudam a reduzir as perdas produtivas de animais.

c) Apps sobre o mercado agrícola: oferecem informações sobre os melhores fornecedores para compra de matéria-prima, os estabelecimentos onde vender seus produtos e os preços praticados.

d) Apps sobre produção e conservação: oferecem informações gerenciais e quantidade produzida, além disso também podem ajudar na localização de áreas naturais e na definição de rotas.

3. Robótica

A robótica, em sistemas autônomos, vem ganhando cada vez mais espaço com a transformação digital no campo. Isso também está relacionado ao aumento do número de AgTechs, as startups voltadas para a área de agricultura. Elas têm, cada vez mais, criado modelos eficientes para ajudar nos processos produtivos do agronegócio

Por exemplo: robôs podem ser usados ao examinar plantações para calcular o número de plantas, a largura e a altura dos caules. Ele coleta e registra esses dados usando uma variedade de sensores, possibilitando o uso inteligente de recursos.

Além disso, os robôs também podem ser usados em atividades que oferecem maior risco à saúde humana. Um emprego muito comum da robótica é durante a aplicação de defensivos agrícolas.

4. RFID (Radio Frequency Identification ou Identificação por rádio frequência) 

Hoje, é imprescindível considerar a crescente conscientização dos consumidores sobre como seus alimentos estão sendo produzidos. Assim, recursos advindos da transformação digital no campo permitem a rastreabilidade ao longo de toda a cadeia produtiva. A integração da rastreabilidade com a pecuária de precisão tem sido amplamente adotada no agronegócio. Ela possibilita monitorar o movimento e controlar doenças no manejo de rebanhos

Neste contexto, foram desenvolvidas ferramentas computacionais (app e sistemas integrados com sensores), como o RFID, que incentivam os produtores rurais a utilizarem a identificação eletrônica em seus rebanhos. Trata-se de uma forma segura e efetiva de identificar individualmente cada produto, além de registrar as suas informações técnicas e permitir o seu rastreamento. Esta ferramenta tem impacto positivo na produtividade! 

Desse modo, com as diversas ferramentas já disponíveis, os gestores podem realizar uma melhor administração do rebanho e da própria propriedade. Saber utilizar as ferramentas atuais disponíveis permitirá promover a transformação digital na sua propriedade!

A conectividade ainda é desafio para o setor agropecuário! 

A tecnologia já existe e está disponível, mas ainda há alguns problemas a serem resolvidos. Em algumas localidades, falta infraestrutura para implementar a conectividade de maneira integral. Em outros casos, quando ela já está presente, alguns produtores têm aderido a ela lentamente, com certo receio

Outro fator que deve ser considerado é o custo de implantação desses sistemas. Porém, à medida que as tecnologias são aprimoradas, esse investimento tem ficado mais acessível a uma maior parcela de produtores rurais.

Saiba mais! 

Conforme a demanda por alimentos aumenta, surge a necessidade de soluções automatizadas, ou seja, a utilização de  ferramentas de precisão que auxiliam na tomada de decisão encurtando alguns caminhos e otimizando os recursos na produção agrícola. Controlar vários processos diferentes ao mesmo tempo, e fazer uso sustentável dos recursos naturais, torna-se urgente na agricultura e na pecuária. 

As tecnologias digitais já são o nosso presente, e a inovação é imprescindível para o futuro
Continue acompanhando as publicações no nosso blog e fique por dentro das novidades sobre as aplicações da tecnologia no agronegócio brasileiro e mundial!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *