Produção agrícola: tecnologias de monitoramento de plantio

A produtividade está diretamente relacionada à qualidade do plantio. Ou seja, as tecnologias de monitoramento de plantio abrem oportunidades de negócios na agricultura digital. Assim, promovem mudanças positivas nos serviços, que serão adequadamente ofertados para o consumidor.

Algumas tecnologias de monitoramento de plantio têm recebido uma atenção significativa no agronegócio. Os sensores são utilizados para planejar as diversas atividades do setor, com menor interferência humana.

Continue a leitura para entender um pouco mais sobre as tecnologias de monitoramento de plantio! Confira!

Plantio de qualidade

A plantabilidade – que diz respeito à deposição de sementes – deve ser feita de maneira acertada pela máquina. É preciso seguir a disposição longitudinal, onde o espaçamento entre sementes e linhas seja o mais homogêneo possível. A incorreta distribuição longitudinal ocasiona a redução do aproveitamento dos recursos disponíveis, como água, nutrientes e luz. 

Uma informação interessante sobre tecnologias de monitoramento de plantio é que já existe no mercado a comercialização de sementes por plantabilidade. É colocada na embalagem a quantidade necessária para semear um hectare, trazendo benefícios para a germinação e o vigor das sementes.

Cabe ressaltar que existe necessidade de monitoramento da operação de semeadura para identificação de fontes de variabilidade intrínsecas ao processo. Isso é feito a fim de reduzir os espaçamentos falhos e melhorar a qualidade da distribuição. 

Tecnologias de monitoramento de plantio

Sistemas de distribuição de sementes

O sistema mecânico de discos de plantio tem sido cada vez mais modernizado, possibilitando ganhos consideráveis na distribuição de sementes. Contudo, sistemas pneumáticos têm avançado muito na uniformidade dessa distribuição. Sabe qual é a principal vantagem de tal sistema? Ele usa um único tamanho de disco para a maioria dos tamanhos de sementes da mesma cultura, flexibilizando a operação. 

Temos testemunhado dia a dia o avanço do uso dos sensores no agronegócio. Assim, sistemas distribuidores de sementes e novos componentes autoajustáveis da semeadora ganharam papel importante no controle e na regulagem do equipamento.

Já são utilizados, em algumas propriedades brasileiras, mapas com prescrição de taxa de semeadura. Contudo, é necessário um estudo mais detalhado da lavoura para desenvolver a prescrição das populações de plantas desejadas – conforme o potencial produtivo da região de manejo.

Precision Planting

A Precision Planting promove a melhoria do processo de plantio para alavancar a produtividade das lavouras de grãos. A empresa foi fundada em Illinois (EUA), em 1993, e está presente no Brasil desde 2013. A principal função da Precision Planting é identificar problemas de plantio que afetam a produtividade e auxiliar na correção da causa. 

Isso pode acontecer de duas formas:

  • Você pode atualizar os produtos que já possui na sua fazenda através de uma rede de distribuição autorizada.
  • Ou pode adquirir uma plantadeira que utiliza produtos da Precision Planting como itens de série, presente em diversas marcas do mercado brasileiro.

O Preciosion Planting, também tem sido muito importante na distribuição de sementes na linha, o que interfere diretamente em produtividade.

Dados em tempo real

O aumento da conectividade no campo suporta as aplicações de coleta e de análise de uma imensa gama de dados. A rede de comunicação tem soluções para conectar grandes áreas remotas com agilidade. No âmbito das tecnologias de monitoramento de plantio, a agricultura digital faz o uso eficiente e inteligente, por exemplo, de drones. Estes realizam tal monitoramento e diversas análises a um custo inferior ao oferecido por satélites. Para o monitoramento de falhas de estande essa tecnologia é bem interessante.

Os drones são importantes para o monitoramento no agronegócio. Diversos modelos vêm equipados com um software de planejamento de voo, que permite ao usuário identificar a área que precisa cobrir. Em seguida, o software faz uma trajetória automatizada de voo e, em alguns casos, até prepara as tomadas da câmera. Essa tecnologia é útil para:

  • a análise da plantação;
  • a demarcação de plantio;
  • o acompanhamento da safra e da pastagem;
  • o calendário de pulverização;
  • a localização de focos de incêndio;
  • a contagem e o monitoramento do rebanho.

Além de drones, a introdução do IoT (Internet das Coisas) possibilita o monitoramento em tempo real – tanto do maquinário agrícola como do transporte da produção. Isso otimiza todas as fases dos processos produtivos, reduzindo custos, aumentando a produtividade e a satisfação do consumidor.

Ou seja, a IoT envolve a interconexão, via internet, de dispositivos de computação embutidos em objetos do cotidiano. É essa integração que propicia o envio e o recebimento dos dados. 

Saiba mais! 

Os resultados ao implementar inovações tecnológicas são amplamente favoráveis para o crescimento do agronegócio. É possível gerar um aumento de produtividade e promover a otimização dos recursos – benefícios aliados, sem dúvida, à sustentabilidade ambiental.

Você se interessou pelo artigo e quer conhecer um pouco mais sobre as inovações do setor agropecuário? Continue acompanhando as publicações no nosso blog! Assine também a newsletter para receber novidades diretamente em seu e-mail!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *