Soluções digitais são apresentadas aos produtores rurais no Summit AgriHub 2021

O Summit AgriHub, promovido na última sexta-feira (27), trouxe vários temas importantes para quem atua no Agro. Entre eles estavam soluções digitais para os produtores, tema do painel conduzido pelo diretor executivo do AgriHub, Otávio Celidonio. O evento aconteceu 100% online e contou com mais de 1 mil pessoas inscritas. O conteúdo completo ficará disponível para acesso na plataforma até o dia 11 de setembro para os que já se inscreveram e ainda há algumas vagas para novos inscritos. Acesse a plataforma: agrihub.org.br/summit2021

Para fortalecer o debate, o professor da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Aziz Galvão, demonstrou aos produtores dados sobre o projeto de mapeamento de produção agrícola nas fazendas de Mato Grosso, fruto da parceria entre o AgriHub e a UFV. O projeto é baseado na Metodologia BPMN (Mapeamento de Processos).

Otávio Celidonio e Professor Aziz Galvão.

“A ideia do projeto é incentivar o produtor rural a identificar os problemas dentro da propriedade rural. Portanto, foi feito um mapeamento dos principais processos agrícolas para conseguirmos entender melhor como podemos ajudá-los. Identificados os problemas, as empresas poderão apresentar as soluções”, informou Aziz.

Na visão dos parceiros do AgriHub e UFV é esperado que após a apresentação do mapeamento do processo produtivo das fazendas às pessoas inovadoras, surjam novas soluções para os problemas dos produtores. “Obviamente, cada propriedade na sua peculiaridade e isso a metodologia permite”, assinalou Aziz.

Fábio Silva, Líder de Agtechs do AgriHub

Em concordância com o posicionamento de Aziz, o diretor Otávio Celidonio acrescentou que o programa fala a mesma língua, porém tenta entender cada produtor e mostrar a solução de forma individualizada.

Na sequência, o responsável pelas frentes de startups, Fábio Silva, mostrou resultados do mapeamento de processos das startups realizado pelo instituto. Segundo ele, o instituto já identificou e fez contato com 1.228 startups. Destas, 204 responderam o mapeamento, sendo assim já se sabe em qual situação elas se encontram e em qual nível de maturidade estão e quais processos resolvem.

Pelo mapeamento, verificou-se que há no radar do instituto startups que atendem todos os processos produtivos dentro da propriedade rural. O questionário e outras informações mais completas do mapa apresentado no evento podem ser acessados na plataforma do Instituto AgriHub. O material será atualizado mensalmente, é público e aberto tanto para as startups como para os produtores.

Eloíza Zuconelli, Líder Rede Fazendas Alfa

Eloiza Zuconelli, responsável pela Rede de Fazendas Alfa, mostrou os resultados da experiência vivida, em cinco semanas percorrendo mais de sete mil quilômetros, validando o desempenho dos principais processos de produção agrícola em propriedades rurais de Mato Grosso. Os macroprocessos vão desde o pré-plantio, plantio, tratos culturais e pós-colheitas. Foram visitadas 27 fazendas, 3 startups e 25 empresas no estado.

Paralelo às visitas, foram realizadas uma série de Lives intituladas de “Desembarcando Tecnologias”, com a participação de fabricantes de máquinas e equipamentos. Nas Lives foram apresentadas aos produtores rurais novas tecnologias disponíveis no mercado, assim como estimuladas o uso das tecnologias que eles já possuem na propriedade, porém não estão sendo utilizadas. 

Rede AgriHub PRÓ Os participantes também conheceram a rede “AgriHub PRÓ”, idealizada para conectar os produtores rurais às soluções tecnológicas e estabelecer um canal de suporte para os profissionais atuantes no agronegócio. A rede foi apresentada pelo responsável Wilton Maciel.

Wilton Maciel, Líder Rede AgriHub PRÓ

A ideia da rede é oportunizar aos profissionais com interesse em tecnologia e ferramentas digitais um programa de treinamento com metodologias de análise de processo dentro de uma propriedade rural, nível de maturidade do produtor e das soluções tecnológicas oferecidas pelas empresas.

“Nosso conceito é formar e levar capacitação aos profissionais do agronegócio. Aqueles que estão ali na ponta, que atendem o produtor rural, que têm demanda por tecnologia e tem dúvidas. O nosso hub idealizou uma rede que justamente vai dar apoio a esse profissional para que ele seja assertivo na escolha da tecnologia e auxilie o seu cliente produtor”, explicou Wilton.

O diretor Otávio Celidonio fez o lançamento do programa “Escalada Sindical AgriHub” – voltado para o envolvimento dos sindicatos rurais com o movimento de digitalização. “Como parceiros, os sindicatos rurais vão auxiliar na difusão de tecnologias aos produtores rurais. Vamos fazer um trabalho de dinâmicas para que, de forma colaborativa, consigamos trazer mais produtores para nossa base, para terem acesso há mais informações e às inovações”, contou Celidonio. 

O produtor rural de Nova Mutum, Emerson Zancanaro, e o gerente técnico do Senar-MT Guto Zanata, também participaram do painel trazendo suas experiências de trabalho.

Fonte: Ascom Famato

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *