LIGA DE INOVAÇÃO AGRIHUB

Estudantes da LIDA AgriHub apresentam resultados de análise de gestão econômica e financeira de uma propriedade rural

A Liga de Inovação e Difusão Tecnológica do Agro (Lida AgriHub), composto por 20 estudantes dos cursos de Agronomia e Zootecnia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), se reuniu nesta terça-feira (14/12), no AgriHub Space, em Cuiabá, para apresentação dos resultados do trabalho desenvolvido na Fazenda Lagoa Dourada, em Poconé, durante os seis meses de monitoramento da propriedade. O projeto é uma iniciativa do Instituto AgriHub e da Faculdade de Agronomia e Zootecnia (FAAZ/UFMT), com apoio do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) e Instituto Senai de Tecnologia em Mato Grosso.

O programa que teve início em junho de 2021, com a participação dos discentes de ciências agrárias, sob a mentoria da professora Aline Piedade, docente da Faculdade de Agronomia e Zootecnia (FAAZ/UFMT) que orientou na análise de gestão econômica da produção agrícola de soja, desde o pré-plantio até a colheita das safras 17/18 e 19/20. Os dados utilizados foram extraídos de um software de gestão, chamado Aegro, que auxiliou no gerenciamento da propriedade.

Ao longo dos seis meses, foram realizados aproximadamente 20 encontros, com visitas ao IMEA, ao Instituto Senai de Tecnologia e na fazenda Lagoa Dourada, além de reuniões semanais no AgriHub Space. No Imea, os alunos aprenderam sobre a metodologia ABC de análise de custo, como foco no Custo Operacional Efetivo (COE). O Imea também foi responsável em fornecer dados que subsidiaram os estudos e pesquisas a fim de parametrizar com os dados da propriedade objeto de estudo.

O objetivo é fomentar a capacitação de profissionais para uma agropecuária 4.0 e colocar em prática o que foi aprendido na faculdade, de forma contínua e efetiva, aproximando os estudantes da realidade do campo.

Para Aline Piedade, fazer parte da LIDA AgriHub traz a reflexão da função de um professor diante ao novo mundo da tecnologia e da inovação. “O projeto me fez repensar a função de um professor diante ao novo mundo da tecnologia e da inovação, é um processo de aprendizado mútuo e contínuo. Nós somos responsáveis por formar pessoas, estamos longe de conseguir transferir tudo o que é necessário para um profissional, nosso papel é fomentar a curiosidade, o interesse, a proatividade e a consciência sobre a realidade do nosso agronegócio”, disse a professora Aline.

Na avaliação do diretor-executivo do Instituto AgriHub, Otávio Celidonio, o projeto além de conectar os estudantes com o AgriHub e com a pesquisa, possibilitou a conexão deles com o agronegócio. “Superamos as expectativas, além de conectar os estudantes com o AgriHub e a pesquisa, conseguimos conectá-los ao agro. Essa união, do aprendizado com o campo e com o produtor rural, resultou em estudantes mais preparados para o mercado de trabalho”, disse Celidonio.

Além da professora Aline Piedade, que liderou os estudantes, também participaram as professoras Patrícia Azevedo (Agronomia -UFMT), Glaucia Ramirez (Agronomia – UFMT), Sheila Leite (Economia – UFMT) e Elisamara Caldeira (Agronomia -Unemat). A LIDA AgriHub continuará em 2022 com outras turmas de estudantes a serem capacitados, de modo a operar em fluxo contínuo, e os planos já estão em desenvolvimento, visando ampliar os conhecimentos sob o mapeamento de processos, cada vez mais exigido em vistas a agropecuária 4.0.

Ascom Famato

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *