Como trabalhar fertilidade em tempo de escassez?

Veja como aliar a VTR e a VTA e aumentar a sua produtividade no campo

O crescimento da população nas últimas décadas alerta sobre a necessidade do aumento de produção de alimentos. Esse desenvolvimento pede um incremento na demanda de produtividade no campo, algo que, se não for suprido, pode gerar escassez de produtos e levar ao aumento dos preços, repercutindo em problemas econômicos. Por isso, a intensificação agrícola é importante para garantir a segurança alimentar futura, mas sempre alinhada à sustentabilidade ambiental.

Preparar, semear e pulverizar são processos quetêm pontos em comum, como a necessidade crítica de gerenciar insumos para aproveitar ao máximo os recursos usados. Fazer uma aplicação excessiva pode comprometer o crescimento da plantação e reduzir os lucros. Assim como, a subaplicação também pode ser um problema, especialmente em áreas que precisam de fertilizantes para estimular o crescimento e os rendimentos superiores. A precisão é uma área da agricultura que não pode depender de suposições e intuição.

Cabe mencionar que o uso de fertilizantes traz grandes retornos para o agricultor em comparação com outras práticas de manejo. Portanto, é a maneira precisa de melhorar a fertilidade do solo e a produtividade. Apesar desse fator importante, o uso de fertilizantes enfrenta escassez. Isso ocorre por várias razões, que incluem: o próprio custo dos fertilizantes, a falta de crédito, atrasos na entrega de insumos e os retornos baixos e variáveis.

Os agricultores que utilizam fertilizantes em alguns casos não conseguem aplicá-los nas taxas recomendadas por falta de recursos financeiros necessários e, também, por falta de informações técnicas. A manutenção da fertilidade do solo exige que devolvamos os nutrientes que removemos devido a colheitas, escoamento, erosão, lixiviação e outras perdas.


Dessa forma, a taxa variável pode ser utilizada em diversas atividades do campo que envolvem o uso de taxas específicas e que têm impacto direto na produtividade e lucro finais para o produtor. Esta tecnologia já é usada para a variação de taxas de plantio (sementes), fertilizantes, corretivos de solo, defensivos, dessecantes e reguladores de crescimento.

Continue a leitura para saber mais sobre como trabalhar fertilidade em tempo de escassez. Confira!

Entenda a VRT (Tecnologia de Taxa Variável)

A tecnologia de aplicação em taxa variável de insumos é realizada a partir de amostras de solo georreferenciadas coletadas nas grades de amostragem e serve como base para a elaboração dos mapas de fertilidade do solo. Desta forma, com base nos mapas de atributos químicos, são elaborados mapas de prescrição de fornecimento de corretivos e fertilizantes em quantidades distintas para diferentes partes do talhão. Tudo conforme a mudança na condição de fertilidade de um local para outro na área em questão.

O que é Tecnologia de Taxa Variável na agricultura?

Uma ótima maneira de atingir esse ponto ideal é usar a VRT. Essa tecnologia de agricultura de precisão ajuda os produtores a executar as informações coletadas sobre suas operações para direcionar a aplicação automatizada e variável de sementes, fertilizantes e aplicações químicas em suas terras agrícolas. As decisões e parâmetros do VRT são baseados em vários dados coletados de GPS, sensores em campo e mapas de uma operação específica.

O que a Aplicação de Taxa Variável faz?

É certo que essas variações podem existir facilmente em apenas um único campo – algumas áreas podem precisar de mais fertilizantes, mais aplicações de herbicidas ou até mesmo uma maior densidade de plantio para atender às expectativas de rendimento. O VRT gerencia essa tarefa por meio da VRA (Aplicação de Taxa Variável), que ajusta as taxas de aplicação, eliminando o fator de “erro humano demorado” que pode ocorrer quando essas tarefas são feitas manualmente. Mais importante, ele pode aplicar essa tecnologia para selecionar áreas, fileiras e até plantas individuais dentro de um campo. 

Como uso a Aplicação de Taxa Variável (VRA) na minha propriedade rural?

Existem algumas maneiras de abordar a VRA, por exemplo, por meio de mapeamento pré-planejado. Essa abordagem permite que você veja antecipadamente como cada campo será abordado, considerando todos os dados antes do início das operações. 

A VRA em tempo real depende dos dados do sensor em campo, fazendo ajustes automáticos e instantâneos com base nos dados em campo. Existem tecnologias que tomam decisões em tempo real com base na tecnologia de sensor óptico, que pode medir a profundidade da cultura e até identificar a presença de ervas daninhas individuais em cada passagem.

O que é bom sobre a VRT e a VRA é que elas reduzem o malabarismo que ocorre no campo quando você está tentando gerenciar suas saídas e operar manualmente o equipamento de campo em simultâneo. É uma economia de recursos, mas também ajuda a reduzir o potencial de qualquer impacto ambiental negativo.  

Saiba mais

A racionalização no uso de insumos agrícolas também ajuda a diminuir o impacto ambiental dos processos de manejo de uma plantação, bem como possibilita uma análise temporal ao longo de diversas safras para avaliar características de um cultivo e, assim, gerar um aperfeiçoamento contínuo da produção.

Você se interessou pelo artigo e quer conhecer um pouco mais sobre outras inovações? Continue acompanhando as publicações em nosso blog e assine também a newsletter para receber as novidades diretamente em seu e-mail. Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *