AgriHub identifica perfis dos produtores rurais da Rede de Fazendas Alfa

As ações do projeto AgriHub estão concentradas em conectar o produtor rural de Mato Grosso às tecnologias voltadas para o campo. Entre os mais de 45 produtores já cadastrados na rede de Fazendas Alfa foram identificados os possíveis clientes, mentores, validadores, investidores e os empreendedores.
A rede de Fazendas Alfa é composta por produtores do estado interessados em participar ativamente da iniciativa. O grupo foi criado para promover maior interação dos produtores com o projeto AgriHub, desenvolvido pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT).
O produtor rural do município de Sorriso Rodrigo Pozzobon disse que seu perfil é de mentor e que chegar a essa conclusão não foi tarefa difícil devido à vasta experiência no campo e conhecimentos adquiridos por meio de estudos e qualificações profissionais na área do agronegócio. Pozzobon participou como um dos mentores do 1º Hackathon de Agronegócio de Mato Grosso, o Dev.Agri, que aconteceu em Sorriso.
Segundo Pozzobon, o papel da mentoria é importante e pode contribuir em todas as fases da iniciativa, pois o produtor pode orientar empresas, startups e empresas desde de um hackathon até os eventos de conexão, quando as soluções já estão prontas, mas ainda podem ter ajustes para melhorar as suas performances no campo.

Na opinião do produtor, ainda existe uma barreira entre o produtor e as startups. “Esse mundo de tecnologias e startups ainda é muito novo para o produtor rural. O homem do campo ainda não está aberto a mudanças e o mentor pode contribuir de alguma forma para diminuir essa resistência, não digo que será da noite para o dia, mas com um trabalho como o do AgriHub podemos um dia conseguir mudar isso”, afirmou.
O mentor pode, por exemplo, orientar e auxiliar no levantamento dos problemas dentro de uma propriedade, além de inspirar e dar insights de negócios voltado para campo. “O mentor conseguirá orientar a pessoa que só tem a ideia, mostrando caminhos para evoluir, ajudar a encontrar os problemas dentro da propriedade rural e contribui na busca de desenvolvedores para o produto”, explicou o produtor.
As demandas por soluções são cada vez maiores e as startups surgem para atendê-las. “Com isso, o projeto visa atrair, além de empreendedores fora do agro, produtores rurais com perfis de empreendedores e investidores que buscam autonomia em suas propriedades rurais e que estejam dispostos a criar novas startups e a investir naquelas que já estão em desenvolvimento”, disse o consultor do AgriHub Fábio Silva.
O que é o AgriHub – O AgriHub é uma rede de inovação em agricultura e pecuária de Mato Grosso que tem o objetivo de conectar o produtor rural ao crescente desenvolvimento da agricultura digital. O projeto está em busca de empresas de tecnologia inovadoras para o agronegócio com a proposta de colocar as grandes dores do setor de frente com a solução, ou seja, colocar os problemas dos produtores rurais de Mato Grosso levantados durante a rodada de reuniões em Campo Verde, Sorriso, Campo Novo do Parecis e Água Boa, nos meses de abril e maio deste ano, para o público que quer e pode desenvolver soluções viáveis para campo.
Conheça os perfis dos produtores e veja qual deles você se identifica:
Cliente –  É aquele produtor que observa as novas tecnologias e posteriormente as adquire.
Empreendedor – Deseja empreender, ou seja, construir uma startup.
Mentor – Provoca questionamentos, contribui com novas perspectivas e expertise, além de compartilhar informações relevantes sobre o mercado e também evita que novos empreendedores cometam erros cometidos por eles no passado.
Investidor – É aquele produtor que investe capital em startups, quando ele observa que o projeto tem alto valor agregado e potencial de expansão.
Validador – Aquele produtor que disponibilizará área da propriedade rural, maquinário e benfeitorias para testes de novas tecnologias, que podem ou não ter custos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *